Depois de ser considerada a melhor Capital para se viver do Nordeste e o segundo modelo de gestão mais eficiente da região, João Pessoa foi apontada por levantamento realizado pela revista Exame, em parceira com consultoria Urban Systems, como a segunda melhor cidade para se investir em negócios do Nordeste. A Capital paraibana, que passou a integrar a chamada “tropa de elite” na atração de novos investimentos, alcançou nota 10,34, subindo 34 posições em relação à pesquisa desenvolvida em 2016.

A publicação aponta João Pessoa como um dos municípios mais promissores para a realização de novos negócios, ficando atrás apenas do Recife (PE), mas superando outras capitais como Salvador, Fortaleza, Natal e Aracaju. “Alcançamos mais este resultado porque planejamos João Pessoa no horizonte de longo prazo, desenvolvendo um plano de ação para os próximos 30 anos, que vai preparar a cidade para 1 milhão de habitantes”, disse o prefeito Luciano Cartaxo.

O plano estratégico integra o programa “João Pessoa, Cidade Sustentável”, realizado em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que prevê um aporte de U$ 100 milhões na capital paraibana. “Esse modelo de gestão, recentemente apresentado nos Estados Unidos, tem como norte a melhoria da qualidade de vida da população com ações estruturadoras, a exemplo do vídeo-monitoramento de áreas urbanas, com o Centro de Cooperação da Cidade, além de novos investimentos em habitação e no desenvolvimento urbano”, reforçou o gestor.

A Capital paraibana apresentou um dos maiores crescimentos na nota alcançada nas regiões Norte-Nordeste, com aumento de 27,3%. O levantamento abrangeu todas as cidades brasileiras acima de 100 mil habitantes, avaliando 28 indicadores em áreas como desenvolvimento econômico, índice de gestão fiscal, transporte e infraestrutura. A qualidade de serviços essenciais, como saúde e educação, também foi monitorada. No ano passado, João Pessoa foi considerada pelo BID como um dos melhores de gestão de toda América Latina.