Política

Em nota, PT pede que Ricardo suspensa terceirização nas escolas públicas

201705310740160000005447

O PT emitiu nota na manhã desta terça-feira (18), para criticar o Governo do Estado pela decisão de entregar a gestão das escolas públicas à organizações sociais.

O presidente estadual do PT, Jackson Macedo, ressaltou o papel do governador nas questões sociais, mas disse que não pode concordar com esaa decisão de Ricardo.

Confira a nota na íntegra

Na defesa da educação de qualidade, ao contrário do retrocesso no processo licitatório que entregará a gestão das escolas públicas paraibanas a organizações sociais, educadores petistas reuniram-se na noite desta segunda-feira (17), quando discutiram o caráter do edital promovido pelo Governo do Estado.

O presidente do PT/PB, Jackson Macedo, presente à reunião, ressaltou o papel do governo Ricardo Coutinho nas questões nacionais, como o enfrentamento ao golpe. No entanto, lembrou que o Partido dos Trabalhadores não pode deixar de se posicionar contrariamente a uma ação privatista como essa que está sendo promovida na educação do Estado.

Diversos educadores presentes expuseram questões como o fato de que essa é a maior transferência de recursos públicos à iniciativa privada que já aconteceu na educação no Estado, em um governo que vem promovendo a precarização com ações como o fechamento de 384 estabelecimentos escolares para justificar esse tipo de ação privatizadora.

Nesse sentido, foi emitida uma nota pelo grupo, que lembra o protagonismo dos educadores em lutas por mais verbas para a área, pela valorização profissional e ampliação do acesso ao ensino, entre outras.

O documento também ressalta iniciativas no sentido da melhora na escola pública, com os governos Lula e Dilma, como a criação do Fundeb, do piso salarial nacional docente e a expansão das universidades e institutos federais de educação, além da aprovação do novo Plano Nacional de Educação (PNE) e do Fundo Social do Pré-Sal.

Conforme a nota, os educadores petistas discordam inteiramente do projeto que promove a terceirizacão da gestão das escolas estaduais, por representar um retrocesso quanto à gestão democrática e o caráter público das escolas. “Entendemos que a ideia de melhorar a qualidade da gestão escolar é positiva, todavia, o caminho é equivocado. Para isso existem outros caminhos, a exemplo de parcerias com as universidades públicas, que podem prestar assessoramento à rede, a exemplo da própria UEPB”, diz o texto.

“Defendemos que o governo suspenda o processo licitatório e convoque um fórum de discussão democrática com a participação das instituições ligadas à defesa da escola pública para a construção de uma proposta alternativa, que aponte para a melhoria da gestão sem ferir o caráter público das escolas estaduais e que respeite os direitos dos trabalhadores em educação”, finaliza.

1 Comment

  1. Tião Lucena

    Eu li a nota do PT condenando o que chama de “privatização do ensino”. Nota fraca, sem vitamina, sem argumentos convincentes.E pior, uma nota baseada em premissas falsas.
    Eu diria, sem medo de ser contestado, que os meninos do PT estão pondo em prática o velho jogo daquele nazista que era o ideólogo de Hitler, o Goebbels, que dizia que uma mentira repetida mil vezes, vira verdade.
    Eles sabem que não existe “entrega de gestão das escolas públicas à organizações sociais”.
    São desonestos ao deturpar a verdade.
    As OS`s regularizarão os OS`s de apoio com carteira de trabalho e promoverão a manutenção física predial das escolas com rapidez.
    O resto é desonestidade política e ingratidão.
    Nenhum desses senhores e senhoras signatários da nota tem capacidade ou coragem de colocar a cabeça fora para defender o Lula.
    Ricardo tem coragem de fazer isso. E talvez seja essa coragem que incomoda essa turma.
    Incomodados ou não, os meninos do PT vão ter que engolir a proeminência do governador Ricardo Coutinho.

Leave a Reply