A bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa apresentou novos documentos em que, supostamente, apontam ligação da esposa do secretário de Infraestrutura, Cássio Andrade, a engenheira Luciana Torres, com a liberação do pagamento das medições da Caixa Econômica Federal. Segundo a oposição, Luciana era responsável, até novembro de 2015, pelo setor responsável pela liberação dos recursos para obra da Lagoa.

Além da esposa,  o líder da oposição, Bruno Farias (PPS), revela também suposto envolvimento da cunhada e concunhado. Segundo Bruno, a cunhada era reponsável pelo ouvidoria e o concunhado era o gestor de obras da Compec, empresa responsável pela obra. “Cássio Andrade mentiu quando disse que a esposa não participou da obra na Lagoa. Até novembro de 2015, ela era responsável pela autorização de pagamento das medições”, revelou.

Bruno Farias disde ainda, que a própria Caixa Econômica foi vítima de Luciana, já que o próprio superintendente do órgão, Marcos Vinícius, desconhecia a participação da esposa do secretário no processo. “A caixa foi Vítima dessa obra que foi planejada como dreno para desviar recursos públicos”, declarou Bruno. Ele afirmou, também, que pedirá a abertura de processo disciplinar contra Luciana Torres. O vereador revelou ainda, que a oposição vai encaminhar os documentos à Polícia Federal.