O prefeito de Bayeux, Berg Lima (Podemos), vive um verdadeiro inferno astral. Além da crise de imagem após a ideia da construção de um presídio federal e a divulgação de super salários na prefeitura, a crise política sei instalou, de vez, na gestão. O remanejamento de Caio Cabral para Secretaria Adjunto do Planejamento gerou repercussão negativa entre os aliados.

Na Câmara Municipal, o líder do prefeito criticou a decisão de Berg e classificou de mesquinha. Hoje a tarde, o procurador do município, Israel Rêmora, considerado o braço direito do prefeito, ameaçou deixar a gestão, caso Caio Cabral não volte para Secretaria de Administração.

Segundo informações reveladas ao Blog do Anderson Soares, a conversa foi tensa entre eles, mas Berg Lima não voltou atrás da decisão. Ainda de acordo com informações, em virtude da forte pressão contra a instalação da unidade prisional na cidade, o gestor já admite a aliados que deve desistir da ideia.