O líder do governo na Assembleia Legislativa, Hervázio Bezerra (PSB) criticou a decisão do Ministério Público Federal, que acusou ele é mais três auxiliares do governador Ricardo Coutinho (PSB), de montar uma farsa sobre compra de votos do então candidato ao Governo do Estado em 2014, Cássio Cunha Lima (PSDB.

Entenda o caso: MPF denuncia Hervázio e auxiliares de RC TV por caluniar Cássio na campanha

Em contato com o Blog do Anderson Soares, neste sábado (27),  socialista disse que é inaceitável responder a um crime porque denunciou e, segundo ele, provou atos de corrupção. Hervázio desafiou ainda o MPF a provar que ele participou da entrevista coletiva, armada para denunciar suposta compra de votos.

“Em minha vida já vi muita coisa, mas denunciar e provar, corruptos e corruptores ser crime, é incrível. Na peça acusatória que tem como base a degravação do tape, em nenhum momento Sales Dantas se passa por Waldo Tomé. Na própria degravaçao está lá escrito: “aqui é Evaldo”, o ex prefeito diz a  Evaldo. Em nenhum trecho do áudio existe qualquer referência a Waldo Tomé. O ex prefeito afirma em certo trecho que todo o grupo foi acertado por R$ 600. Está tudo na peça acusatória, é só ler. Desafio quem prove que participei de entrevista coletiva. Nunca participei”, argumentou.