O PSOL de Bayeux publicou uma nota fazendo duras críticas à gestão do prefeito da cidade, Berg Lima (Podemos). De acordo com o partido, Berg enganou a população com suas promessas de campanha que não foram cumpridas no seu início de mandato.

“O Plano de Gestão de Gutemberg se resume às promessas de campanha que fez através daquilo que rotulou e apresentou como ‘Plano’ à Justiça Eleitoral como praxe para garantir a sua candidatura”, diz a nota.

Os políticos do PSOL ainda acusam Berg de piorar a qualidade da saúde e educação pública na cidade, ignorar as melhorias na infraestrutura prometidas e tentar aparelhar a administração municipal.

“Enquanto seu secretariado mantém os privilégios decorrentes do cargo, os servidores públicos efetivos e contratados têm seus salários atrasados parcelados para garantir o recebimento”, afirma.

Confira texto na íntegra:  

NOTA

PRIMEIROS MESES DA GESTÃO DO PREFEITO “BERG” LIMA

Sem a pressa virulenta e odiosa de oportunistas políticos que se rotulam atualmente em Bayeux como oposicionistas e que apostam no “quanto pior, melhor”, o PSOL em Bayeux se afasta dessas práticas politicanalhas e, em um pouco mais de 100 dias de mandato, faz a sua avaliação política da atual gestão municipal. E fazemos essa avaliação porque o povo merece mais que intrigas políticas por sede de poder e a qualquer custo. 

Pra isso, estabelecemos alguns pontos específicos de atuação, sendo: Promessa de Campanha, Plano de Gestão, Saúde Pública, Educação Pública, Infraestrutura, Servidor Público e Relação com a Câmara de Vereadores. Porém, antes de iniciarmos queremos pontuar que parte do secretariado que foi escolhido de forma técnica tem o nosso respeito e reconhecimento de suas qualificações, e ainda, acreditamos que vários são os profissionais que integram essa  gestão, buscando, de fato, fazer o seu melhor.

Avaliamos que:

PROMESSA DE CAMPANHA E PLANO DE GESTÃO

Ao nosso ver, um Plano de Gestão precisa apresentar objetivos, metas e estratégias de como alcançá-los, tudo isso de forma clara e fácil compreensão para o povo, porém ao iniciar seu mandato o atual Prefeito Gutemberg Lima nada apresentou à população nessa configuração. Então, o que se pode entender é que o Plano de Gestão de Gutemberg se resume às promessas de campanha que fez através daquilo que rotulou e apresentou como “Plano” à Justiça Eleitoral como praxe para garantir a sua candidatura.

No documento que apresentou à Justiça Eleitoral, equivocadamente rotulado nas primeiras linhas de plano, vez que não apresentou como haveria de alcançar o que propunha, “Berg” Lima garante a implantação de um Modelo de Gestão, o qual denomina de “GESTÃO PARTICIPATIVA”. Ora, sabemos que na Capital existe o “Orçamento Participativo” e no Governo do Estado o “Orçamento Democrático”, ambos com uma estrutura bem definidas com audiências públicas e com a apresentação clara do orçamento público, onde as pessoas podem ser ouvidas no tocante aos investimentos públicos na sua Cidade e no seu Estado, porém aqui em Bayeux, na “Cidade dos Manguezais”, em 100 dias da  atual gestão, nada foi apresentado nesse sentido, onde a participação popular tem se dado através de milhares de reclames nas mídias digitais: facebook, whatsapp e demais, já que a Gestão de Gutemberg não conseguiu cumprir, se não é o primeiro, é o mais importante de uma gestão que de fato ousa ser democrática, qual seja um mandato onde as pessoas  participam diretamente do processo decisório.

Conclusão: Se o povo tem dito que a Gestão de “Berg” Lima está perdida, sem um Plano de Ação coeso jamais se  encontrará.

SAÚDE PÚBLICA

Gutemberg Lima iniciou sua gestão “causando” na saúde, porém não para o melhor da população, vez que existiram várias ações mal explicadas, dentre estas o FECHAMENTO DA MATERNIDADE, onde alegava-se condições precárias e impossibilidade de atendimento das pessoas, porém poucos  dias após, Berg Lima reabriu a maternidade sem qualquer explicação clara que convencesse a População de Bayeux.

Vários são os relatos das pessoas que denunciam que a saúde não está melhorando, e justificam isso dizendo que nos PSF’s não têm medicamentos e que a estrutura de atendimento e marcação de consultas e exames, ainda continuam oprimindo às pessoas, vez que continuam na fila de espera por exames a meses. Nos PSF’s, ainda, foi ampliado o horário de atendimento e as pessoas se submetem a correr risco de vida para pegar um ficha de atendimento, vez que acordam muito cedo, isso de madrugada, para conseguirem atendimento.

EDUCAÇÃO PÚBLICA

Temos que pontuar aqui que há um acerto da atual gestão quando adiou o início das aulas, em decorrência da redução da verba na educação, pois se era pra começar desorganizado, melhor fazer o adiamento e começar da forma mais organizada possível.

São percebidas algumas reformas em Creches, a seleção de educadores para o programa “MAIS EDUCAÇÃO” que garante a impessoalidade no serviço público. Ações essas que precisam ser intensificadas juntamente com a qualidade da merenda nas escolas, a infraestrutura das salas de aula, quantidade de alunos por salas de aulas, qualificação contínua  dos profissionais e valorização destes, tudo isso se se quer, de  fato, alcançar uma educação de qualidade na cidade.

SERVIDOR PÚBLICO

“Berg” Lima iniciou sua gestão com uma das piores práticas que um gestor pode ter, qual seja a tentativa de aparelhar o instrumento maior de reivindicação dos SERVIDORES PÚBLICOS, sendo esse instrumento o SINTRAMB, isso querendo cooptar parte dos seus diretores. Uma vez os diretores cooptados, quem poderia representar e defender os servidores públicos na cidade? O PSOL repudia essa tentativa do Prefeito “Berg” Lima. Graças à pressão de parte da população e dos próprios servidores, essa ação de “Berg” Lima não obteve êxito.

A gestão tem se encontrado ineficiente quanto ao PCCR dos servidores públicos, vez que não tem cumprido o mesmo. E, enquanto seu secretariado mantém os privilêgios decorrentes do cargo, os servidores públicos efetivos e contratados têm seus salários atrasados parcelados para garantir o recebimento. 

INFRAESTRUTURA

Aqui, muito se fez alarde sobre calçamentos de ruas, porém nada foi apresentado planejado e de concreto quanto a essa questão. Com exceção, de algumas ruas escolhidas que foram calçadas que mais parecem servir de marketing para passar uma boa imagem do início da gestão. Tudo de forma muito tímida, o Prefeito “Berg Lima” não planeja, mas faz marketing, até porque não adianta calçar ruas se não há um trabalho de saneamento básico, a implantação do sistema de esgoto e tratamento do mesmo.

Está no seu “Plano” apresentado à Justiça Eleitoral, o remodelamento do Mercado Público, porém o mesmo continua  com as mesmas deficiências, sem organização e carente de esgotamento sanitário adequado.

Quanto à LIMPEZA URBANA, de fato, o Prefeito “Berg” Lima tem duas posturas, uma antes das eleições, quando tentou mobilizar a Câmara de Vereadores para a implantação de uma CPI do Lixo, e outra quando ascendeu à cadeira de Prefeito, pois até agora nada mais fez para se apurar as irregularidades  que outrora ele apontava. 

RELAÇÃO COM A CÂMARA DE VEREADORES

Essa é uma das mais promíscuas que o atual Prefeito “Berg” Lima tem estabelecido, vez que tem agido igual aos seus antecessores, vez que cede a caprichos de vereadores. Até os mais rivais oposicionistas de antes são convidados por Gutemberg para serem líderes de sua gestão na Câmara, uma verdadeira troca de favores, influência, privilégios e cargos na máquina administrativa, na tentativa de transpor os obstáculos que já tem encontrado na Câmara para aprovação das suas ações.

A preocupação de “Berg” Lima deveria ser em fazer o melhor possível na gestão para o Povo e não se preocupar com posicionamento de vereador. É lógico que se o Povo visse o Prefeito atuando em pró da população, não tinha vereador nenhum que colacasse a população contra o mesmo.

POSTURA DO PSOL DIANTE DESSA GESTÃO

Quem integra, hoje, o PSOL em Bayeux não é, obviamente, situação, vez que não fazemos parte dessa gestão, porém também não estamos preocupados em se denominar OPOSIÇÃO, vez que existem aqueles abutres do poder que estão preocupados apenas em retornar ao lugar de mando em Bayeux. O PSOL em Bayeux, na verdade, está intimamente preocupado em estar do lado do Povo, da População que sofre quando não há perspectiva de dias melhores ante a ausência de ações e negligência das autoridades constituídas na cidade e que possuem a competência para tal, mas preferem se omitir.

De todas as falhas do Prefeito “Berg” Lima, nesse início de gestão, as mais sérias são a ausência de um Plano claro e o cumprimento mínimo de suas promessas a começar pelo “Orçamento Participativo” que aponta no documento que apresentou à Justiça Eleitoral.

A organização do espaço público, não há nenhuma “atitude” que se vislumbre algo nesse sentido. Crescimento sustentável com respeito e proteção das nossas riquezas naturais e do nosso meio ambiente, questionamos quais ações que resolva essa demanda. Inclusão social da população jovem e pobre residentes às margens do manguezal, nenhum programa foi apontado que encarasse essa questão de forma séria. O impasse do transporte público só foi resolvido de forma parcial graças a ação do Governo do Estado, porém não se sabe até quando isso estará sob controle.

São mais de cem dias de Gestão do autal Prefeito, e o que observamos é muito marketing com a finalidade de criar uma falsa sensação que a cidade encontrou o caminho do progresso, porém as pessoas não têm se deixado enganar e têm percebido essas manobras e que os problemas da gestão anterior, infelizmente, se propagam na atual gestão.

Nós do PSOL temos a compreensão da real dimensão que a atual gestão do Prefeito “Berg” Lima não está cumprindo o seu  papel, vez que prometeu tanto sem levar em consideração o devido planejamento, porém o PSOL também compreende que as soluções das demandas de Bayeux não partirão de políticos canalhas que já se revezaram no poder e só aumentaram a crise nos serviços públicos na cidade, onde se preocupavam apenas em fazer “acordos politiqueiros” para se manterem no poder. São estes mesmos que, hoje, tentam posar de oposicionistas, mas que não possuem moral alguma para a devida crítica, vez que só negligenciaram quando tiveram a oportunidade de fazer uma gestão em pró das pessoas.

Essa será a postura do PSOL em Bayeux: se a ação é da atual gestão e beneficia as pessoas da cidade, terá nosso apoio e o devido reconhecimento, caso a ação, omissão ou negligência prejudiquem a população, terá o nosso repúdio e a devida crítica. Quanto aos rótulos de “situacionistas” ou “oposicionistas”, nós do PSOL deixamos para os “politiqueiros” que vivem se digladiando por poder e mais poder às custas do suor e sangue do Povo.

Partido Socialismo e Liberdade – PSOL-Bayeux/PB