Populares ocuparam as galerias da Câmara de Bayeux, na manhã desta terça-feira (22), para protestar contra o que eles denominam de golpe no Instituto de Previdência e Assistência do Município (IPAM). A revolta foi motivada após aprovação da alteração da lei orgânica do município, nas surdinas, pela Câmara.

A emenda considerada por especialista como inconstitucional, desrespeita o Conselho da autarquia, que foi vítima de fraude em ata de reunião, conforme nota divulgada pelos próprios conselheiros do IPAM. A decisão gerou indignação em grande parte da população e dos servidores aposentados e pensionistas do órgão.

img-20161122-wa0015

O esquema montado pelo atual prefeito da cidade, Expedito Pereira (PSB), com aprovação da maioria absoluta dos vereadores foi entendido como uma tentativa de inviabilizar a gestão do futuro prefeito Berg Lima (PTN), já que aprovaram um dispositivo que dar poder ao Legislativo de cassar o futuro prefeito caso não repasse, mensalmente, os valores patronais ao instituto.

Os vereadores apreciavam a Lei de Orçamento Anual (LOA) para o exercício de 2017 quando a sessão foi suspensa, após  protestos de populares na galeria. De acordo com informações, movimentos contra a decisão informaram que não vão parar enquanto não for passado a limpo essa alteração de lei.