O deputado Renato Gadelha (PSC), rebateu na manhã de hoje, o que ele chamou de acusações infundadas de que o grupo do prefeito André Gadelha seria o responsável por suposto atentado contra a casa do pai do ex-prefeito Tyrone, em Sousa, atingida por disparos de arma de fogo na madrugada da última segunda-feira.

Renato atribuiu ao “desespero causado pela certeza da derrota no pleito que se avizinha esta tentativa inconsequente e que não se sustenta fora do mundo dos boatos”. Gadelha destacou que em mais de “100 anos de tradição política da nossa família, nunca houve um ato de violência atribuído aos Gadelha”.

O deputado exibiu imagens de um evento político realizado no último domingo na cidade e que, segundo ele, acabou por gerar os acontecimentos. “Colocamos 35 mil pessoas nas ruas de Sousa. Uma clara demonstração da força política do nosso grupo na cidade. Acredito que o prenúncio da derrota na eleição, atordoou nossos adversários. Só mesmo isto para justificar tamanha ingenuidade em atribuir a nós este suposto atentado”.

 Gadelha lembrou ainda a conduta violenta do adversário, envolvido em confusões e processos inclusive enquadrado na Lei Maria da Penha. “Não farei acusações levianas, aguardarei a correta e justa apuração dos acontecimentos. Mas a ficha corrida do ex-prefeito é extensa e conhecida não só em Sousa”, afirmou o deputado.

Renato Gadelha cobrou agilidade na apuração dos fatos. “Já foi indicado um delegado especial para investigar o que realmente aconteceu. Espero que a elucidação do suposto crime aconteça antes das eleições para que Sousa conheça a verdade. Repito aqui, só mesmo o desespero da derrota faria alguém fantasiar história tão frágil e desconexa da realidade”, finalizou.