O governador Ricardo Coutinho (PSB), revelou, nesta quinta-feira (15), frustração após reunião dos governadores com o ministro da Fazenda, Henrique Meireles, para debater a dívida dos estados com a União.

Ele disse que os governadores querem uma reunião com o presidente Michel Temer para tratar o assunto e caso não sejam ouvidos, não há outra saída senão decretar calamidade pública.

“Queremos uma reunião com o presidente e vamos esperar até a próxima semana. Aguardamos um proposta do presidente até a próxima semana. Caso não nos atenda, não restará outra saída senão de decretar calamidade pública. É ruim para os estados e para a imagems do país ter 11, 12 ou 15 estados nessa situação de calamidade pública”, declarou.

Ricardo voltou a afirmar que os  estados menores e que fizeram o “dever de casa”, inclusive a Paraíba, estão sendo penalizados. Para ele, o nordeste não pode ficar para depois.

” É preciso ter a sensibilidade de quem fez o dever de casa, como nós fizemos, ser penalizados. A pior coisa é desagregar socialmente o restante do país. O nordeste não pode ficar para depois. A conta é muito pesada.  De todo investimento do BNDES 8% é para o nordeste e o reto para sudeste. Não estou dizendo que a falência do Rio de Janeiro  seria bom para o brasil. Mas não se pode pensar em alternativas quando tudo implodir”, ressaltou.