A Assembleia Legislativa da Paraíba constatou, através de auditoria, que houve falha humana no painel eletrônico, que registrou o voto do presidente do Poder Legislativo, Adriano Galdino (PSB), sem que o deputado estivesse presente na sessão.

Leia também: Painel da AL é violado e registra voto de Galdino que estava ausente de sessão

De acordo com o secretário legislativo da AL, Washington Rocha, no cadastramento biométrico do deputado Antônio Mineral (PSDB), que assumiu na lugar de Ricardo Marcelo (PEN), houve uma vinculação do nome de Adriano Galdino ao do deputado Antônio Mineral (PSDB).

Washington disse que as correções já foram efetuadas e que as votações continuarão sendo eletrônicas. Segundo ele, semanalmente, serão feitas avaliações no painel eletrônico.

“Constatou que no cadastramento do Dep. Mineral, quem cadastrou acabou por vincular a biometria de Adriana a Mineral.Por enquanto, estaremos trabalhando com o sistema, fazendo semanalmente avaliações para implantação do sistema de painel SAPL – Sistema de Apoio ao Processo Legislativo”, esclareceu.

O atual sistema de votação  é de propriedade privada. A AL detém apenas o direito de usar. As intervenções para melhorar a utilização do sistema saem muito caras para o Poder Legistativo, segundo Rocha. O sistema SAPL vai permitir, de forma gratuita, a adaptação a nossa realidade.

“É um programa privado que necessita de outras aplicações (resultando em novas aquisições de programas complementares), com alto custo para a administração. Com o SAPL, que é gratuito, desenvolvido pelo Interlegis, numa ação do Centro de Processamento de Dados do Senado Federal (Prodasen), a codificação é aberta para o desenvolvimento de operações locais, como forma de melhor adaptar o sistema a nossa realidade”, afirmou Washington.