A intenção do governador Ricardo Coutinho (PSB) ao mudar sua equipe de governo é muito clara e traz recados claros e diretos.

A começar pela nomeação de Lindolfo Pires no lugar de Laplace Guedes, indicação pessoal do senador José Maranhão.

Ricardo o remanejou para uma pasta ainda menor em termos de força e expressão. Manda um recado para Maranhão.

Ou se decide pelo apoio à candidatura do PSB ou está fora do governo. Dar uma passo na direção do rompimento, mas coloca decisão nas mãos do senador.

A julgar pela decisão do deputado Manoel Júnior, a pré-candidatura do PMDB é pra valer. Prova disso, é a confirmação de licença parlamentar para se dedicar as eleições.

Outro gesto dado pelo governador é na direção do PR. Caio Roberto reclamava da falta de prestígio no governo e foi contemplado com a Secretaria de Esportes.

Mas a estratégia governental conquista o ápice da articulações com a ascensão de Raoni Mendes (DEM) para AL e Sandra Marrocos (PSB) para CMJP.

Com o gesto, RC abre duas frente de guerra nas duas casas legislativas contra o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PSD).

A ideia é abrir artilharia de guerra, dando uma dimensão maior aos problemas da cidade tanto na Casa Epitácio Pessoa quanto na Napoleão Laureano.

São as primeiras peças do xadrez eleitoral jogadas pelo PSB para retomada do poder em João Pessoa. Estratégias para consquistar mentes e corações como dizem os socialistas.