O deputado estadual João Gonçalves (PDT), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga danos ao consumidor causados pelas empresas de Telefonia Móvel, Fixa, Internet banda larga e TV por assinatura, afirmou que um dos objetivos da CPI é apurar o destino de R$ 80 bilhões recolhidos através de impostos e que deveriam ter sido investidos na melhoria dos serviços em todo o país.

“O Brasil, quando o presidente interino Michel Temer assumiu, disse que tinha um rombo de R$ 170 bilhões. Só na telefonia, do imposto que pagamos, tinha R$ 85 bilhões. O governo federal utilizou R$ 5 bilhões e os R$ 80 bilhões ninguém sabe onde está”, disse o parlamentar.

O problema já foi exposto no relatório da CPI, apresentado em dezembro do ano passado. Os membros da Comissão constataram que os fundos das telecomunicações Fust, Fistel e Funtel não tem tido seus recursos utilizados. Aproximadamente R$ 80 bilhões arrecadados não foram aplicados para universalizar o serviço de telefonia.

“Todo mundo que compra um chip hoje já paga R$ 27,80 de impostos e, uma vez por ano, todos os chips do Brasil pagam R$ 3,49. É isso que nós queremos: localizar onde estão estes R$ 80 bilhões da telefonia. Porque não estão investindo em nada”, afirmou.