Novo presidente nacional do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), o paraibano Leonardo Gadelha (PSC), defendeu nesta segunda-feira (27), mudanças na Previdência Social.

Gadelha argumenta que é necessária a adoção de uma idade mínima para aposentadoria, que deve ser discutida com os jovens brasileiros, público-alvo da reforma da Previdência Social.

Segundo as regras atuais, a idade mínima — 60 anos para mulher e 65 para homem — é exigida apenas para quem se aposenta por idade, sendo necessário que tenha pelo menos 15 anos de contribuição para o INSS.

 

“É preciso ressaltar que ninguém vai ter seu direito adquirido ferido. O diálogo da Previdência é com as pessoas de meia idade e com os jovens. Essas pessoas precisam entender que a pirâmide está mudando e para que, no futuro, haja condições de continuar pagando os benefícios, precisamos fazer mudanças”, ressaltou.