O secretário de Planejamento, Gestão e Orçamento do Estado, Tárcio Pessoa, criticou o acordo celebrado nesta segunda-feira (20) entre o Governo Federal e os estados para renegociação da dívida.

Em contato com o blog do Anderson Soares nesta terça-feira (21), o secretário explicou que o acordo só beneficia os governos com maiores dívidas com a União. Para os estados do Norte e Nordeste, não houve muita vantagem.

Foi bom para os estados com maiores dívidas com o Governo. Os  grandes beneficiados foram São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Alagoas e Goiás. Eles possuem juntos, 85% da dívida com União. Paras os estados do nordeste houve pouco impacto”, afirmou.

Tárcio disse que negociação com o governo da presidente afastada Dilma Roussef (PT) oferecia mais vantagens os nordestinos porque permitia uma maior capacidade de acesso a  financiamentos para investimentos.

A negociação iniciada no governo anterior era mais benéfica para o Norte/Nordeste pois nos dava a possibilidade de revisar os limites de empréstimos, com possibilidade de acesso a R$ 1 bilhão de financiamento para investimento. Isso não foi concretizado porque os estados que estão sendo beneficiados foram ao STF travar a o processo. Fica evidente que os estados maiores ficam com o bônus e o menores com o ônus”, ressaltou.

Ele informou que a dívida da Paraíba com o Governo Federal é de R$ 700 milhões e que na prática o estado deixa de pagar R$ 7 milhões até dezembro e R$ 8 milhões de dívida com o BNDES, porém neste caso,  os juros são mantidos.