O prefeito de Bayeux, Expedito Pereira (PSB), comentou nesta segunda-feira (20), a decisão do TCU de reprovar as suas contas, em virtude de irregularidades em convênio como o Ministério das Cidades para reformas de casas no município.

Expedito disse que a decisão não é terminativa e que cabe recurso. O prefeito acredita na revisão do entendimento do Tribunal e  lamentou a exploração política, segundo ele, dos adversários.

Confira nota

Em virtude da veiculação de notícias na data de hoje, segunda-feira (20), acerca de uma condenação por parte do Tribunal de Contas da União, envolvendo a minha pessoa, vimos, oportunamente, esclarecer ao público, e a quem possa interessar, que:o caso a que faz menção a Egrégia Corte de Contas da União, em que pese todo o respeito que se tenha por esta, tal decisão não é terminativa, ou seja, é plenamente passível de ser revista, através do competente “recurso de reconsideração”; medida, inclusive, que já está sendo adota pela equipe jurídica que acompanha a matéria. 

É de se lamentar, eloquentemente, que se venha explorar tal fato conforme dito, de caráter transitório (uma vez que acreditamos nitidamente no acolhimento do nosso recurso, diante de nossa inocência e retidão no agir), com a natureza e o viés políticos, atitude totalmente desvirtuada da realidade fática e sobretudo jurídica.

Importa salientarmos à sociedade, à guisa de informação, que: como gestor, jamais tivemos contas rejeitadas nem pelo TCE – Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, tampouco pelo próprio Tribunal de Contas da União. O povo de Bayeux, e de todo o estado da Paraíba sabem da nossa trajetória de retidão, probidade, honestidade, compromisso e trabalho para com a administração pública, seja como Vereador, seja enquanto Prefeito Municipal de Bayeux (por quatro mandatos), ou ainda, na condição de Deputado Estadual, quando, honrosamente, representamos todos os municípios e munícipes deste estado.