A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da telefonia vai ouvir o depoimento do presidente do grupo da Claro, José Antônio Guaraldi, nesta segunda-feira (20), a partir de 12h, no plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba.

De acordo com o deputado João Gonçalves (PDT) presidente da CPI, o objetivo da vinda do presidente da Claro é esclarecer a precariedade dos serviços prestados pela empresa na Paraíba e os investimentos previstos para o Estado.

Além disso, segundo o João, o executivo será questionado sobre o desvio de mais de R$ 85 milhões do fundo de investimentos, coordenado pela Anatel, que deveriam ser aplicados na melhoria dos serviços ofertados aos clientes.

Essa é uma CPI que já chegou onde nenhuma outra conseguiu chegar. É algo inédito para o Brasil uma Comissão chegar tão longe. Várias manobras foram feitas para impedir a CPI, mas estamos avançando”, declarou.

O parlamentar destacou a importância do trabalho do Tribunal de Justiça da Paraíba. O TJ negou pedidos das empresas de telefonia para barrar ou impedir depoimentos dos executivos, mas foram negados.

Na última quarta-feira (15), os advogados do representante da empresa entraram com um Hábeas Corpus no TJPB para tentar impedir a prisão coercitiva dele, mas até hoje pela manhã não havia se pronunciado. O Executivo está em João Pessoa desde ontem (19).