Alvo de questionamentos por tentar antecipar em 20 dias, o julgamnento da presidente Dilma Roussef (PT) no Senado, o presidente da Comissão processante, senador Raimundo Lira voltou atrás e descartou a possibilidade.

Em contato com o blog do Anderson Soares, na noite desta sexta (3), durante a abertura do Soão João de Campina Grande, Lira afirmou que a população brasileira espera o desfecho do julgamento com ansiedade, porém o julgamento seguirá, sem açodamento, o rito normal.

Não, não há (antecipação). Desde o primeiro momento que eu defini que o rito da Comissão não seria tão curto que desse a impressão de açodamento nem tão longo que criasse uma ansiedade na população brasileira. Vai ser um rito com tempo justo e adaquado para todas as partes”, declarou.