O governador Ricardo Coutinho (PSB) tentou até o último minuto do governo da sua aliada Dilma Roussef (PT), mas não conseguiu a tão esperada liberação de empréstimos na ordem de R$ 1 bilhão para Paraíba.

No último dia do governo da petista, Ricardo tinha uma reunião marcada com ministros da áreas econômica para tratar da liberação, mas de última hora, o encontro foi desmarcado e os ministros foram exonerados, em um ato coletivo.

Coube ao governo a quem RC tachava de golpista e ilegítimo, conceder o empréstimo tão sonhado pelo socialista para aplacar os efeitos de uma crise que abala o país e o Estado, sem precedentes na história.

É fato que não é a quantia almejada pelo Estado (apenas R$ 150 milhões foram concedidos), mas num cenário de crise e com a posição adotada pelo governador durante o processo de impeachment da presidente afastada, é um gesto considerável do presidente Michel Temer (PMDB).

Como toda experiência traz em si um grande aprendizado, acredito que o socialista deve fazer a leitura de que, às vezes, aqueles que parecem ser  nossos “adversários” são mais parceiros do que amigos que  julgamos aliados.