Já ficou claro e evidente que o senador Cássio Cunha Lima decidiu quem vai apoiar para prefeito de João Pessoa.

Ao defender a união das oposições no primeiro turno, o tucano dá um gesto claro de apoio à reeleição do prefeito Luciano Cartaxo (PSD).

A tese é todos contra Ricardo Coutinho (PSB). Conseguindo implementar a tese, a vitória seria certa no primeiro turno.

No entanto, a principal barreira para o plano ser colocado em prática esbarrra no projeto político do prefeito.

Candidato natural ao Governo do Estado em 2018, caso seja reeleito, será que Cartaxo entregaria a vice ao Manoel Junior (PMDB) ou a outra pessoa a quem não tenha confiança?

Por outro lado, o gestor pode se dá ao luxo de escolher o vice da sua confiança para deixar a Prefeitura nas mãos de um aliado para alçar novos vôos?

Se avaliar que sim, não há dúvidas que o vice dele nem será do PSDB, muito menos do PMDB. Fará o mesmo que Ricardo Coutinho, fez em 2008.

Ricardo frustrou o PMDB e Nonato Bandeira, indicado pelo Conselho Político para a vaga. No entanto, o socialista escolheu para vice o ilustre desconhecido Luciano Agra.

O contexto era outro. A aprovação do governo do PSB batia recorde de aprovação. RIcardo dazia uma gestão revolucionária na cidade.

Na atual conjuntura, as pesquisas apontam quase 70% da aprovação do governo Cartaxo.

É o suficiente para dar a segurança necessária para trilhar o mesmo caminho adotado de RC? Esse é o conflito de Luciano.