O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa, Durval Ferreira (PP) recorreu nesta segunda-feira (23), ao Tribunal de Justiça do Estado para questionar a decisão do juiz da Fazenda Pública da capital, Marcos Sales, que determinou a intalação da CPI da Lagoa.

O magistrado estipulou o prazo de cinco dias úteis e a data se expira amanhã. Durval alega que os vereadores que protocolaram o pedido de CPI não preencheram todas pré-requesitos exigidos pelo Regimento Interno da CMJP. O poder Judiciário deve se pronunciar o mais rápido possível sobre o tema.