A campanha da pré-candidata do PSB à Prefeitura de João Pessoa ganha motivação especial com a oficialização do apoio do PPS pelo que a aliança representa.

Primeiro, porque volta a colocar em evidência o nome de Cida Ramos na mídia, fato que não ocorria desde o lançamento da candidatura dela, há duas semanas.

O segundo motivo é o valor político-eleitoral que a aliança representa. O PPS é um partido importante em João Pessoa. Basta lembrar que em 2012 conseguiu eleger três vereadores na capital. Sem falar no tempo de TV.

Mas a maior valor que o apoio agrega é emocional e estratégico. O retorno de Nonato ao jardim girassol representa a reconstrução de um projeto vitorioso, que teve início em 2005.

Portanto, tem um valor piscológico de extrema importância. Isso ficou latente na fisionomia e discurso do governador Ricardo Coutinho, que ao falar da reaproximação com Bandeira, fez questão de pontuar a amizade e a importância dele para o projeto do PSB em JP.

“A vida é feita de reencontros”, disse o governador. O realinhamento mexe com a motivação, o ânimo dos dois e da militância . O PSB consegue retirar do arco de alianças do adversário, o principal articulador da coligação entre os Lucianos, Agra e Cartaxo, fundamental para vitória do atual prefeito.

Por fim, união significa também, o retorno do estrategista político para o seu lugar de origem. Nonato vem para ocupar um espaço que não foi preenchido nesses quatro anos de distanciamento político. Chega no momento de total fragilizade do PSB, em que o partido precisa de comando, cérebro.

Politicamente, a melhor saída para Nonato. Se continuasse com Cartaxo, poderia até ganhar a eleição, mas perderia, ainda mais, força, prestígio e importância. Com o PSB, mesmo perdendo, sai ganhando. Inevitavelmente, será peça fundamental na equipe do governador. É a união do útil ao agradável.