A foto é emblemática. Imagens falam mais que palavras. Quem acompanha os últimos vintes anos da política paraibana sabe o simbolismo que o ato representa.

O fim de uma disputa entre dois grupos que se digladiaram por duas décadas pelo poder no Estado por e o início de uma aliança no principal reduto eleitoral da Paraíba e do governador Ricardo Coutinho.

Cássio se aliou a Ricardo em 2010 para se vingar de Maranhão, reponsável pela cassação dele em 2009. Maranhão dá a vitória a  Ricardo em 2014 para revidar a derrota em 2010.

Agora, unidos para derrotar o projeto político do governador. Em João Pessoa, PMDB e PSDB devem marchar juntos. “Faltam apenas alguns ajustes”, garantiu o pré-candidato Manoel Júnior (PMDB), que segundo ele, passa por 2018.

O projeto dos partidos é conquistar, juntos, o governo do Estado em 2018. Só que existem focos de resistência em vários municípios, a exemplo de Campina Grande e Guarabira, só pra ficar nesses casos.

No entanto, há um esforço hercúleo das duas estrelas do PSDB e PMDB para reparar as arestas. Há toda uma atmosfera que conspira para a reaproximação. Além disso, o desejo de derrotar RC é maior do que as resistências internas.

O governador que foi hábil para costurar apoio político de Cássio e Maranhão para atingir objetivos eleitorais, revelou na mesma proporção, inaptidão, em mantê-los no arco de aliança. A mão que afaga é a mesma que apedreja, como diria o poeta.