O juiz da 1° Vara da Fazenda Pública, Marcos Sales determinou, na manhã desta quinta-feira(12), ao presidente da Câmara Municipal de João Pessoa, Durval Ferreira (PP), a implantação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com objetivo de investigar o desvio de recursos na obra do Parque Solon de Lucena (Lagoa).

Como a CPI foi arquivada pelo presidente da Câmara, os vereadores da oposição procuraram o judiciário para conseguir a instalação da Comissão. O juiz determinou que em cinco dias seja instaurada a CPI, assim como também determinou que o oficial de justiça apresente explicações sobre a demora na intimação a Durval.

O vereador Renato Martins (PSB) disse que esse é uma notícia muito importante, porque os pessoenses precisam saber os detalhes desta obra que é tão divulgada pela Prefeitura de João Pessoa, mas apresenta diversas irregularidades.

“Muito bom acordar com uma notícia tão boa, conseguimos e vai ser instaurada a CPI do lixo, da Lagoa. Vencemos o arrumadinho quando muitos não acreditavam. O povo necessita saber onde foi parar o lixo, o desvio de recursos, isso é de poder público, deve ser explicado. A gestão da publicidade tentou de toda forma abafar o caso,as vencemos na justiça”, afirmou.

A Controladoria Geral da União (CGU) aponta desvios R$ 10 milhões na execução dos serviços na revitalização da Lagoa. Com esses dados o vereador Renato Martins defendeu a criação da CPI na CMJP, mas o presidente da Casa engavetou o pedido.