O senador José Maranhão (PMDB) foi o primeiro paraibano a discursar na sessão que analisa a admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Roussef (PT). Ele demistrou arrependento en cotar dua vezes em Dilma e pediu desculpas à população por ter pedido a aliados para votarem na petista.

Em seu discurso, o senador defendeu o proseguimento do impeachment. Ele disse que que analisou a peça jurídica e foi convencido que a presidente praticou crimes de responsabilidade fiscal, ao contrair empréstimos com bancos públicos e assinar decretos sem a autorização do Congresso.

Maranhão refutou a tese petista de que o impeachment é um golpe parlamentar. Segundo ele, os votos de 54 milhões de brasileiros não dão o direito de Dilma se desviar do caminho, praticando crimes contra as leis orçamentárias.

“Eleição não é procuração para político se desviar do caminho. Não é porque a presidente Dilma obteve mais de 54 milhões de votos, que lhe dar o direito de se desviar do caminho. As ditaduras começam pelo voto e depois se perpetuam no poder”, afirmou