O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSC) afirmou nesta terça-feira (12) que trocou tiros com dois criminosos por volta de 11h na Avenida das Américas, Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. O caso foi registrado na 16ª DP (Barra) como tentativa de roubo.

O parlamentar garante que tem porte de arma. Todos os disparos que atingiram seu veículo partiram de dentro do carro, quando Bolsonaro reagiu aos assaltantes.

“Vimos um assalto no carro ao lado e meu segurança, que é policial militar, saiu do carro para rendê-lo, quando o assaltante pegou a arma para atirar nele e eu reagi. Foi um susto”, disse Bolsonaro.

Ele e o segurança não se machucaram. Bolsonaro, no entanto, alega que feriu um dos criminosos. Ele é um dos maiores críticos na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) em relação à restrição ao porte de armas e voltou a criticar o sistema “praticamente impeditivo”.

Representante da comissão parlamentar que investiga a morte de policiais, Bolsonaro criticou ainda as dificuldades vividas pela polícia.

“O delegado me falou que só não poderia mandar uma viatura agora ao local porque só tem três viaturas e que todas estavam sendo usadas em investigações, depois o pessoal da PM me falou que só têm seis motos aptas para trabalhar em toda área do 31º BPM (Recreio), que é uma área muito grande. É o tipo de situação que poderia ser inibida se tivesse mais policiais motociclistas”, concluiu.

G1