Discussões acalouradas e de baixo nível na Câmara Municipal de João Pessoa têm desaguado nas esferas da justiça e da polícia. O vereador Marmute Cavalcante (PSD) informou à imprensa que tem sido ameaçado de morte.

O parlamentar mostrou ontem (1), imagens do carro ensaguentado e fotos do arrombamento da porta de uma Associação dos Desportistas do Valentina.

Ele atribui os atos à motivação política e faz ilação ao vereador Renato Martins (PSB), que na sexta-feira (26) esteve no bairro liderando protesto contra um possível fechamento do campo da Marquise e segundo Cavalcante, incitando os moradores contra  o mandato dele.

Não bastasse esses episódios, o líder do prefeito, Marco Antônio (PPS) e Renato Martins (PSB), se enfrentaram ontem, em mais um debate apimentada. Desta vez, no Fórum Criminal de JP.

O líder do prefeito processou Martins por tê-lo  chamado de prevaricador, depois da base do prefeito engavetar pedido de audiência para debater melhorias na educação. Não houve acordo na primeira audiência e o caso segue na justiça.

Debates fúteis, acusações, votos de aplauso, título de cidadão, subserviência e mudança de nome de rua, são  as características de um parlamento marcado pela mediocridade.

Situação que se comporta como vassalo e oposição ranhenta que, por interesses eleitorais, faz a política do quanto pior melhor, para alcançar os ambiciosos projetos de poder.

Há uma carência de lideranças que saibam interpretar e traduzir os anseios da população. Há um espaço vazio que precisa ser ocupado.

Os grandes debates populares ficaram em segundo plano. Por isso, é renovar e aposentar, precocemente, aqueles que só vão lembrar do povo na hora do voto.