O ex-governador José Maranhão (PMDB) demonstrou mágoa com as declarações do governador Ricardo Coutinho de que teria deixado uma dívida de R$ 1 bilhão nos cofres do estado à época em que governou a Paraíba. Contrariado, Maranhão afirmou que deixou mais de R$ 600 milhões em caixa e ainda empréstimos aprovados na ordem de R$ 400 milhões.

“Nós deixamos o estado com as finanças equilibradas. Deixei um saldo de mais de R$ 600 milhões. Além disso, deixei empréstimos da CAFI e do BNDES aprovados, contratados e disponibilizados ao meu governo que somaram uma quantia de quase R$ 400 milhões.O próprio Ricardo Coutinho registrou isso no balanço financeiro de 31 de dezembro, período que se referia a minha administração”, afirmou.

Maranhão fez questão de ressaltar que as estradas construídas na Paraíba pela atual administração foram com recursos que ele deixou em caixa.

“Foram projetos do meu governo. Contratados no meu governo. Iniciados no meu governo, com recursos disponibilizados para as construções. Um governo que agiu dessa forma, não poderia merecer aqueles ofensivos comentários do governador”, desabafou.

Questionado se sentia injustiçado com as declarações de Ricardo, o senador disse que injustiça e política caminham juntas. “O político está sujeito à injustiça todas as horas e muitas vezes a injustiça parte de onde jamais deveria partir”, concluiu.